Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




Blog do cezar
 


Aguardem nova materia

Espero primeiro seus comentários para poder avaliar



Escrito por cezar às 22h48
[] [envie esta mensagem
] []





REENCARNAÇÃO

O Espiritismo, a reencarnação e a igreja

José Reis Chaves

Esta matéria responde, em conjunto, às colocações do católico Sr. Carlos Ramalhete, mostrando a coerência e as verdades da Doutrina Espírita, as quais se identificam plenamente com a Bíblia, a razão e a Ciência. Primeiramente, eis os questionamentos propostos pelo Sr Carlos Ramalhete, e, em seguida, a nossa matéria em resposta ao missiva.

Reencarnação

Dos erros mais comuns hoje em dia é a crença na chamada "reencarnação", um mecanismo pelo qual uma pessoa teria várias "vidas" sucessivas, sendo uma pessoa ou outra em uma vida ou outra, vidas essas passadas por toda parte. Esta crendice é evidentemente incompatível com a Fé Cristã, com a Razão e com o próprio bom senso.

A crença na reencarnação é incompatível com a Fé Cristã

Ela é incompatível com a Fé Cristã porque sabemos que "Para os homens está estabelecido morrerem uma só vez e logo em seguida virá o juízo." (Heb 9,27), e a reencarnação pressupõe que cada homem teria várias mortes sucessivas, nascendo depois com outro nome, filho de outros pais, em outro país... segundo as crenças de alguns grupos reencarnacionistas , a pessoa poderia nascer com o sexo oposto ou não, ou até, segundo alguns (como os de tendência hinduísta, oriental), poderia nascer como animal ou como planta!

Ela é incompatível com a Fé Cristã porque nega o valor dos Sacramentos (uma pessoa seria batizada novamente em cada "encarnação") , nega Céu, Purgatório e Inferno, nega a criação da alma humana, nega a união substancial entre corpo e alma, nega a existência de anjos e demônios, nega os privilégios da Santíssima Virgem Maria, nega o pecado original, nega a graça divina, nega toda a doutrina do sobrenatural, nega o juízo particular depois da morte, a ressurreição da carne e o juízo final.

Ela é incompatível com a Fé Cristã porque nega a Misericórdia divina e o perdão dos pecados (segundo Allan Kardec, "Toda falta cometida, todo mal realizado é uma dívida contraída que deverá ser paga; se não for em uma existência, sê-lo-á na seguinte ou seguintes ." - o pecado, para um reencarnacionista , nunca é perdoado!) e prega um deus que se existe não age, e se age não perdoa. Tudo seria um mecanismo em que estariam presas as pessoas, pagando em uma "encarnação" os pecados cometidos em "encarnações" anteriores, dos quais não têm lembrança ou conhecimento, sem esperança alguma de perdão.

A crença na reencarnação é incompatível com a Razão

A crença na reencarnação é também incompatível com a Razão, com o raciocínio lógico mais elementar. Afinal, para que seja possível aprender com um erro, é necessário que lembremos do erro cometido. Isto ocorre não apenas com os seres humanos, mas também com os animais. Um cachorro aprende a não satisfazer suas necessidades fisiológicas no lugar errado sendo castigado quando o fez, ou sentindo o cheiro do que fez para que se lembre de seu ato. Alguém que tentasse ensinar um cachorro a controlar sua bexiga esperando a hora em que o animal não mais se lembrasse do ato proibido para, de sopetão , castigá-lo, conseguirá na melhor das hipóteses traumatizar o pobre animal, nunca ensiná-lo a segurar a bexiga. Afinal, o pobre animalzinho não saberá porque terá sido castigado!

A crença na reencarnação pressupõe um deus punitivo e sem misericórdia, ou melhor, um mecanismo que funciona por conta própria em que as pessoas são punidas em uma vida por pecados de que não se lembram, por erros que não sabem que cometeram, com o único objetivo de expiar uma falta que desconhecem totalmente ter cometido. Assim, evidentemente, não pode haver aprendizado. Como poderia uma pessoa que sofre com conseqüências de um suposto pecado em uma teórica vida passada aprender a não mais cometer aquele pecado, se ela nunca soube tê-lo cometido?! Como poderia ela saber que errou, que está sendo punida por aquele erro e que não mais deve cometê-lo, se ela não tem lembrança alguma desta suposta vida anterior e só vê as misérias que sofre e que lhe parecem absolutamente desprovidas de valor, já que não tem como ligá-las com aquilo que teria sido a causa destes sofrimentos e que teoricamente os faria justos?

A crença na reencarnação é também incompatível com a Razão pelo simples fato de que não ajuda em nada uma pessoa por pecados que ela não sabe ter cometido, como não faz sentido dizer ser a mesma pessoa (ou dar a ela uma punição!) quando ela nasceu de outros pais, com outro nome, em outro lugar, sem lembrança alguma de sua suposta vida anterior, de sua personalidade nesta "vida passada", de seus erros, acertos, ignorâncias e saberes.

Uma pessoa que não fala a mesma língua, não tem a mesma cultura, nasceu de outros pais, em outro país, não se lembra da "encarnação " anterior, não tem conhecimento algum de nada do que agora o afetaria, não é nem pode ser considerada a mesma pessoa que uma sua suposta "encarnação" anterior. Qual seria o ponto em comum entre essas pessoas? Apenas uma espécie de "carnê" de pecados a pagar, que seria passado de uma pessoa/ " encarnação" para outra pessoa/"encarnação", sem que seja possível lembrar-se da origem daqueles sofrimentos, sem que seja levado nada de uma "encarnação" a outra a não ser os pecados a pagar.

Assim, podemos dizer que a crença na reencarnação pressupõe na verdade que os pecados cometidos por uma pessoa (João da Silva, nascido em Botucatu dia 25.I.65 e falecido em Belo Horizonte em 30.VIII. 97, teria por pura maldade quebrado a perna de uma criança) são pagos por outra (José de Souza, nascido em 27.IX.97 em Belém do Pará, nascido com a perna aleijada). Ora, isso não apenas é injusto como é absurdo! Não é a mesma pessoa, já que não há nada (paternidade, nome, personalidade, naturalidade, cultura, conhecimentos...) em comum, e José de Souza não teria como saber que sofre pelos pecados de João da Silva, que teria morrido e deixado assim de ser punido pelos seus pecados, passados a José para que a pobre criança os pagasse!

A crença na reencarnação, além disso, é incompatível com a Razão (ao menos quando os reencarnacionistas afirmam que todas as "encarnações" ocorrem em seres humanos e na Terra) porque a população de hoje no planeta é equivalente à soma de todas as pessoas que cá já viveram até o século passado. Assim, cada pessoa poderia no máximo estar na primeira ou segunda "encarnação".

A crença na reencarnação é também incompatível com o bom senso mais elementar e é facilmente perceptível como apenas um reflexo do eterno orgulho humano quando percebemos que praticamente todas as pessoas que acreditam em reencarnação fazem questão de citar imediatamente supostas "encarnações" anteriores como reis, rainhas, pessoas famosas... conheço umas cinco ou seis Cleópatras!

Hoje em dia, com a queda dos padrões morais da sociedade, está também na moda ter sido uma prostituta elegante de alguma corte em supostas vidas anteriores. Isto reflete apenas as ânsias das pessoas, a sua incapacidade de enfrentar a realidade, mas evidentemente não corresponde à realidade.

Os Espíritas e a Igreja

Em 1953 a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil reafirmou o que afirmara em 1915 e em 1948:

"Os espíritas devem ser tratados, tanto no foro interno como no foro externo, como verdadeiros hereges e fautores de heresias, e não podem ser admitidos à recepção dos sacramentos, sem que antes reparem os escândalos dados, abjurem o espiritismo e façam a profissão de fé."

Segundo a Lei da Igreja, "chama-se heresia a negação pertinaz, após a recepção do batismo, de qualquer verdade que se deve crer com fé divina e católica, ou a dúvida pertinaz a respeito dela" (CDC cân . 751).

Ora, "o herege incorre automaticamente em excomunhão" (CDC cân . 1364 §1), ou seja, deve ser excluído da recepção dos sacramentos (cân . 1331 §1), não pode ser padrinho de batismo (cân . 874), nem de crisma (cân . 892) e não pode casar na Igreja sem licença especial do bispo (cân . 1071) nem ser membro de associação ou irmandade católica (cân . 316).

 

Autor: Carlos Ramalhete - Livre cópia e difusão do texto em sua íntegra com menção do autor.



Escrito por cezar às 07h32
[] [envie esta mensagem
] []





cONTINUAÇÃO

Contra-argumentos ao texto na visão espírita

NOSSA OPINIÃO                           

O Cristianismo está dividido hoje em um grande número de igrejas ou correntes cristãs. A própria Igreja Católica Apostólica Romana tem suas divisões. Há católicos que assistem a uma missa todos os dia. E há católicos que passam anos sem assistir a uma missa. Há aqueles que não crêem na reencarnação, e há aqueles (a maioria) que a aceitam. Existem aqueles que não creem no inferno e em outros dogmas católicos, e outros que, cegamente, aceitam todas as doutrinas católicas e mais as superstições católicas populares. Para os adversários do Espiritismo, é bom que se lembre aqui que a maioria dos católicos frequenta centros espíritas e centros de Umbanda, Candomblé e Quimbanda. Aliás, todos os frequentadores e dirigentes dessas seitas espiritualistas são católicos, pois vão à missa, adoram estátuas dos mesmos santos da igreja. E uma prova de que é verdade o que estamos afirmando é que muitos padres, xingando os seus fiéis católicos, têm dito que “quando a coisa aperta para os católicos, eles correm para os centros espíritas”. E a própria Igreja afirma hoje que nela reina a unidade na diversidade. A diversidade é as divergências internas dela.

A Igreja tem muita afinidade com o Espiritismo. O Brasil é a maior nação católica do mundo, e é também a mais espírita do mundo. As Filipinas é a 2a nação católica da Ásia, e é a 2a nação espírita do mundo. De fato, a comunicação com os santos da Igreja não é com os cadáveres dos santos, mas com os espíritos dos santos. E a proibição de Moisés da comunicação com os espíritos (Dt. 18,11) não é de Deus, pois não está no Decálogo. Ademais, ela prova-nos que existe a comunicação com os espíritos, senão Moisés não a iria proibir. Não seria ele louco de proibir uma coisa que não existe. É como se alguém colocasse uma placa: não pise na grama, se não há grama no local onde coloca a placa. Mas Moisés mesmo se contradiz, com relação a esse assunto, permitindo a Eldade e Medade que recebam espíritos (Nm 11,26-29). E, se fôssemos obedecer a tudo determinado por Moisés, iríamos contra os Dez Mandamentos. Por exemplo, ele manda assassinar a pedradas todos os que se comunicam com os espíritos (Levítico 20,27).

Sabemos que Jesus e os apóstolos médiuns Pedro, Tiago e João, na Transfiguração, entraram em contato com os espíritos de Moisés e Elias. E para aqueles que dizem que Elias foi para o céu vivo, com seu corpo de carne, lembro-os de que Elias continuou na Terra depois do episódio de ter subido em uma carruagem de fogo, pois Jeorão, rei de Judá, recebeu de Elias uma carta, alguns anos depois do citado episódio evolvendo o desaparecimento de Elias numa carruagem de fogo (2 Crônicas 21,12).

Quanto à posição da Igreja em relação não só ao Espiritismo, mas também, a outras religiões, estão caducas aquelas condenações dos bispos brasileiros, de 1915, 1948 e 1953, como estão caducas as leis canônicas que regiam a Inquisição. Valem para hoje as decisões constantes da “Lumem Gentium” do Concílio Vaticano II. E ninguém é mais excomungado porque participa de alguma cerimônia ou evento não católicos.

Alegam muitos religiosos cristãos fundamentalistas que o pagamento de pecados pelas reencarnações é incompatível com a razão, porque o indivíduo não se lembra do pecado que está pagando. A criança não sabe que a panela quente no fogão queima seu dedo, e, no entanto, ela se queima assim mesmo sem saber o motivo e sem saber sequer que ela está cometendo um erro. Incompatível com a razão é o indivíduo pagar pelo pecado original de Adão e Eva, e que é também contra a Bíblia. “A alma que pecar, essa morrerá: o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai a iniquidade do filho” (Ez 18,20). E Deus quis que nós ignorássemos nosso passado para o nosso próprio bem. Se o indivíduo tem uma pessoa de sua família, vizinha ou colega de trabalho ou de estudo, que, no passado, foi um seu desafeto ou grande inimigo seu, ao saber disso, automaticamente se criaria uma barreira entre os dois. Como, pois, haveria um relacionamento amistoso, de reconciliação e amizade entre eles? Seria muito difícil acontecer a sua harmonização. E um outro tipo de problema poderia haver com a lembrança de fatos do passado. Se surgir uma oportunidade para fazermos o bem a uma pessoa, mas descobrimos que, numa vida anterior, ela foi um nosso grande amigo ou irmão, avô, filha, esposa ou esposo, certamente lhe daríamos uma atenção toda especial. Mas não teríamos mérito! E, sem dúvida, ficaríamos perplexos e mesmo traumatizados, se soubéssemos o que já fizemos de errado no passado! Como se vê, é bom, em todo sentido, nós ignorarmos o nosso passado, como é bom ignorarmos também o nosso futuro. Aliás, tudo o que Deus faz é bom e mais do que certo. E, por isso, temos no Velho Testamento um texto reencarnacionista sobre esse assunto específico que acabamos de ver: “Somos de ontem e nada sabemos” (Jó 8,9). Esse ontem não é um passado de 24 horas, mas um passado longínquo, como se pode ver pelo contexto bíblico.

 

Mas há um outro texto bíblico, agora do Apóstolo Paulo, muito usado contra a reencarnação. É quando Paulo fala que Jesus morreu uma vez só, como o homem morre uma vez só (Hb 9,27). Esse texto Paulino nada tem a ver com a reencarnação nem a favor dela nem contra ela. A palavra homem vem do Latim “humus”, água com terra ou barro, da qual se originou a palavra, também latina, “homo”, homem em Português. De fato o homem morre uma vez só “e bem morrido”. “Aquele que desce à sepultura, jamais se levantará” (Jó 7,9). Além de esta afirmação do Livro de Jó nos mostrar como o homem era visto pelos semitas, ou seja, pelo seu lado fenomênico, material, mostra-nos também que a ressurreição não é do corpo, mas do espírito, pois jamais subirá o que desce à sepultura, isto é, o corpo, a carne. Realmente, a ressurreição do corpo é do Credo da Igreja. Mas a da Bíblia é do espírito. “Temos dois corpos, um da natureza e outro espiritual; ressuscita o espiritual” (1 Co. 15,44). Para um dos maiores teólogos católicos da Igreja da atualidade, o espanhol André Torres Queiruga, a ressurreição, inclusive a de Jesus Cristo, é também do espírito (“Repensar a Ressurreição”, Ed. Paulinas). Quando o espírito reencarna, ele ressuscita (ressurge) na carne. Quando o homem morre, seu espírito ressuscita no mundo espiritual, até que, um dia, o espírito fique por lá. “Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus, e daí jamais sairá” (Ap. 3,12) 



Escrito por cezar às 07h31
[] [envie esta mensagem
] []





Continuação

Sobre a nossa personalidade, nós temos duas: uma geral do espírito, a que pertence o inconsciente, e outra particular para cada vida do espírito na carne, da qual é o consciente. E é o consciente que funciona, quando estamos em vigília ou estado normal de consciência. O consciente não se lembra de vidas passadas. E é por isso que só nos lembramos de episódios de outras vidas, quando estamos em estado alterado de consciência, isto é, o estado em que funciona o nosso inconsciente. O estado de consciência normal ou não alterado é o de Beta (vigília), quando estamos acordados ou com o consciente em funcionamento. Já os estados alterados de consciência, em que funciona o inconsciente, são o de Alfa, isto é, o de quando estamos quase dormindo ou quase acordando (a pessoa fica meio grogue). O estado de Teta se dá quando temos um sono leve. Delta é quando estamos em sono profundo. E como já foi dito, as lembranças de episódios de encarnações passadas ocorrem nesses estados alterados de consciência, muito raramente quando o indivíduo está em Beta (vigília).Neste estado de Beta, as lembranças só acontecem de modo indireto ou em forma de tendências, inclinações, talentos.

Os adversários fundamentalistas da reencarnação alegam que ela é contrária às doutrinas da Igreja. Em outros termos, a Igreja não a aceita. Mas nem tudo que não é aceito pela Igreja está errado. E, às vezes, acontece até o contrário, estando errado o que foi aceito pela Igreja, de que são exemplos a Inquisição, as Cruzadas e as guerras ou conflitos religiosos do passado, de que a Igreja pede hoje perdão. E eu gostaria de dizer para os católicos e evangélicos contrários à reencarnação que ela foi aceita pelo Cristianismo Primitivo, tendo sido só condenada no Concílio Ecumênico (553), por influência do Imperador Justino e sua esposa Teodora. Como o fenômeno da reencarnação nunca foi condenado por Jesus e a Bíblia, pelo contrário, em Jesus e nela temos várias passagens que falam direta e indiretamente sobre a reencarnação, não é, pois, estranho que ela tenha feito parte do Cristianismo dos primeiros séculos. E a própria condenação dela no citado concílio demonstra que ela era aceita por teólogos cristãos. E entre eles gostaríamos de destacar São Clemente de Alexandria, Orígenes, São Cirilo, o Papa São Gregório Magno, São Justino, autor de “Apologia da Religião Cristã”, São Gregório Nazianzeno etc.

 

E a reencarnação não é uma doutrina só dos espíritas. Ela é universal, tendo hoje o respaldo de vários segmentos da ciência, como a Terapia de Vivências passadas (TVP), exercida por milhares de médicos, psicólogos, parapsicólogos e até por físicos, como o francês radicado nos Estados Unidos, Patrick Drouot, Ian Steverson, Nath Banerjee na India. Quando a ciência fizer o relatório final sobre a prova de que uma pessoa já viveu em outra vida, o clero talvez pense em classificá-los de erege, mas vão ter que engolir como hoje ainda sentem-se engasgado por negarem que a terra era redonda, defendida por Galileu galilei o qual era para o clero um erege e que foi forçado a abjurar sob pena de ser queimado vivo. Pode haver falhas nessas regressões. Por exemplo: quando há interferências de entidades, as quais podem identificar-se falsamente, trazendo confusão de identidade ao inconsciente da pessoa que regride e ao seu terapeuta. Por isso, os terapeutas da TVP devem ser bem preparados nos seus cursos de Pós-Graduação. Uma pesquisa feita pela Universidade de Oxford, encomendada pela Igreja Anglicana (Inglaterra), com base em 2.000, 4.000.000.000 de pessoas, isto é, 2/3 da população da Terra, crêem na reencarnação. E essa doutrina não é incompatível com a Doutrina Cristã, pois sabemos da clareza dessa passagem do novo testamento quando perguntou Jesus: que dizem os homens quem eu sou? Respondeu os discípulos: uns diz que tu és Jeremias, outros que Elias ou alguns dos profetas... E o clero católico e os pastores são contra ela, porque ela nos mostra que a salvação depende da vivência do Evangelho do Cristo, enquanto que o clero católico e os pastores querem “vender” para nós a salvação! “Os homens não perdoam as doutrinas que lhes fazem perigar os interesses” (Salomon Reinach). Mais sobre a reencarnação no nosso livro “A Reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência”. 



Escrito por cezar às 07h27
[] [envie esta mensagem
] []





Continuação

Jesus Cristo é o nosso Redentor, no sentido de que Ele foi o Enviado do Pai para nos trazer a mensagem do Evangelho. Mas, se fosse o sangue de Jesus que nos remisse, não precisaríamos fazer nada. Poderíamos nos esbaldar! Mas o próprio Jesus disse: “Ninguém deixará de pagar até o último centavo”. Se fosse, pois, o sangue Dele que nos redimisse, não teríamos que pagar nem o primeiro nem o último centavo do preço de nossas faltas! E esse ensino do Mestre nos deixa claro, também, que pago o último centavo, estaremos quites com a Justiça Divina, não tendo nós que pagar mais nada, porquanto, a justiça divina é perfeita. E isso derruba por completo as chamadas penas eternas.

Quanto aos sacrifícios, Jesus disse: “Basta de sacrifícios!” Destarte, o sangue derramado de um ser humano ou de um animal não acalma Deus, o Pai, nem faria despertar em Deus sua misericórdia para nós, pois Deus é imutável. Aliás, a sua misericórdia por ser infinita, não poderia ser aumentada nem diminuída com nenhuma espécie de sacrifício, muito menos humano e de um homem justo e inocente como foi Jesus. E Deus não é um espírito de baixo astral, que se compraz com sangue derramado. Os católicos e evangélicos estão no momento defendendo uma crença pagã do passado, onde tudo se oferecia aos deuses para aplacar sua ira. Deus não precisa de sacrifício de ninguém para perdoar pecados e erros de suas criaturas.

Sabemos hoje, também, que não há inferno geográfico eterno, nem de fogo propriamente dito, como o entendiam (uns fingiam entender), por ignorância os teólogos do passado e muitos ainda de hoje o entendem. O fogo do inferno bíblico é figurado, é no sentido esotérico e não exotérico. Muitos líderes religiosos de hoje fingem que creem ainda nessas coisas, para amedrontarem seus fiéis e, assim, poderem manipulá-los melhor. Ademais, poucos sabem que o termo “eterno” vem de uma palavra grega, “aionios”, que quer dizer um período longo, mas que tem fim! E hoje, 150 anos depois do ensino espírita, a Igreja passou a ensinar também que o inferno não é um local geográfico, mas um estado de consciência,(já estão melhorando com o ensino espírita) ou seja, o contrário do reino de Deus, que está dentro de nós, em forma ainda, às vezes, de semente ou em estado potencial, como diz a filosofia. E, por consequência, o Paraíso ou Céus (no plural, tradução correta de “Caeli”, como consta da Vulgata de São Jerônimo), está também em nós. “O reino de Deus está dentro de vós mesmos”.

Jesus disse que não veio condenar o mundo, mas salvar o mundo. E, como vimos, Ele salva o mundo com o seu Evangelho. Uns querem dizer que o Espiritismo e a reencarnação anulam todo o sacrifício de Jesus. Na verdade, o Espiritismo não aceita o sangue de Jesus como sendo resgate de nossos pecados, mas valoriza, sim, o sacrifício de sua vinda ao nosso mundo e de sua morte, tudo para trazer para nós a mensagem do Pai, a qual se encontra no evangelho, onde se encontra milhares de lições para ser seguidas se quiser se salvar. E tanto é verdade isso, que o Espiritismo incentiva todos a porem em prática essa mensagem do Pai. Realmente, é vivenciando o Evangelho do Mestre dos mestres, que nós vamos nos aperfeiçoando em nossa caminhada em direção à perfeição. “Fora da Caridade não há salvação” (Allan Kardec). Ou seja, fazendo todo o bem que que Jesus pede no seu evangelho. “A fé sem obras é morta” (São Tiago). “Posso ter uma fé que remove montanha, mas se eu não tiver caridade, não sou nada” (diz São Paulo). E o Nazareno não ensinou que é crendo em determinados dogmas e sacramentos criados pelos teólogos,(como batismo de criança, reza repetida do terço, prossição com estátua de santos, confissão de pecados a um pecador etc, que alguém se salva, portanto nada disso é compatível com o cristianismo, pois não se em contra em parte nenhuma da Bíblia) mas que nós nos tornamos seus discípulos e nos salvamos, quando nos amarmos uns aos outros como Ele nos amou. Basta isso.

O espírita é aquele, pois, que procura seguir o verdadeiro ensino de Jesus, já que busca, como foi dito, a vivência do seu Evangelho. E o Espiritismo crê de fato na misericórdia infinita de Deus, pois, para nós espíritas, essa misericórdia divina é tão ampla, que Deus nos dá quantas chances (reencarnações) forem necessárias para a nossa salvação. Em outras palavras, para o Espiritismo, a misericórdia divina é infinita mesmo, ou seja, é incondicional e é para todo o sempre. Não existe misericórdia de Deus se uma só de suas criaturas for condenada. É como nos mostra a Parábola do Filho Pródigo, em que o Pai de Misericórdia está sempre com os braços abertos para abraçar a qualquer filho seu, pois Deus não faz exceção de pessoas. Basta que um filho seu “entre em si”, como diz a Parábola, e queira voltar para Ele, pois o Pai, que é perfeito, respeita totalmente o nosso livre-arbítrio, dando-nos oportunidade de aprender a se corrigir para não errar mais, mesmo que na atual existência ele não se lembre de tudo que fez de errado, para quando quisermos, como quisermos e onde quisermos despertar para a verdade que liberta, pois somos espíritos imortais e filhos de um Pai tão amorável, que nos ama mais do que nós mesmos nos amamos! É impressionante alguem acreditar ser justo que uma pessoa venha ao mundo cego, aleijado e mudo se a alma é criada ao mesmo tempo que o corpo. Voce estaria feliz da vida vendo todos ao seu lado, brincando, cantando e você até para comer precisa que alguém coloque a comida na sua boca? Qual a finalidade dessa alma vir ao mundo nessas condições, para que tantos sofrimentos se ela, sendo criada ao mesmo tempo que o corpo, não merece viver a alegria das outras almas. Pra que? Mas se essa alma em outra existência cometeu delitos que comprometeu seu espírito com as leis de Deus, não é justo que ela venha em situação limitada para não cometer os mesmos delitos e aprenda que as leis de Deus não pode ser infrigida?

 

SIM, A REENCARNAÇÃO PROVA O AMOR E A JUSTIÇA DE DEUS PARA COM SEUS FILHOS.



Escrito por cezar às 07h25
[] [envie esta mensagem
] []





Manter um blog de caráter religioso onde as pessoas possam se instruir é muito difícil. Porque estamos vendo muita falta de interece pelos valores espirituais. São esses os motivos pelos quais tenho me limitado a postar mensagens e outros assuntos correlacionado com o interece moral da criatura. Fico aguardando que alguem desperte mais atenção a esse assunto.



Escrito por cezar às 08h12
[] [envie esta mensagem
] []





POLÍTICA

Alô Blogueiros, Aqui vai uma matéria para os que tem bom senso sobre a realidade da corrupção

Eu venho acompanhando o andamento da política brasileira a muito tempo e olhem bem, eu não sou como piolho que anda pela cabeça dos outros, eu pesquiso, estudo e comparo.

 

Vejo muita gente quando não tem argumento contra os fatos e mesmo assim não querem concordar com o sistema petista de governar, dizerem que o LULA só fez o que fez porque recebeu o plano real já pronto. Será mesmo? Então vamos lá. Sabemos que o plano real foi obra de Itamar Franco, certo né? Quem governou 8 anos depois dele com o plano real já pronto em mãos? Isso mesmo que você está pensando: FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, o tão conhecido FHC do PSDB de José Serra, de Aécio Neves e aquela turminha que vocês já conhecem, com o apoio de PLF, PPR de Paulo Maluf, mais aquele monte de partidos, OK? Pois bem, nesses 8 anos eu, minha esposa e todos os brasileiros da mesma categoria trabalhando sob esse mesmo regime, recebíamos uma diferença para completar o salário mínimo. E nesses 8 anos foram fechadas SUDENE, SUDAM, ESTALEIRO NAVAL (fábrica de navios), congelamento de salário do trabalhador de carteira assinada, (mas aumento de 6 em 6 meses para os parlamentares) venda vergonhosa da VALE DO RIO DOCE; proibição de investigação de parlamentares pela polícia federal...etc, etc, etc...e todo mundo que tem bom senso sabe disso. O que resultou dessa forma de governar: desconfiança do investidor estrangeiro, aumentando o risco Brasil de 830 pontos para 4020 fazendo assim o fechamento de várias indústrias no Brasil desses estrangeiros, acarretando no maior índice de desemprego da história do Brasil, chegando ao ponto de FHC pedir arrego ao FMI que significa: fundo monetário internacional e que eu chamo de fundo monetário dos que estão morrendo de fome. E esse dinheiro ninguém sabia para que servia, pois nem hidroelétrica, nem construção de estradas, engavetamento da trans-nordestina e transposição do s. francisco...a propósito, nesse período a globo fez um documentário contra o governo para fazer média com a população sobre as condições das estradas no país: foram mostrada 62 mil km de estradas intransitáveis. Agora o mais vergonhoso nesse período foi a aprovação no congresso do décimo quarto salário para um monte de mamadores das tetas do Brasil, vale salientar que essa medida e muitas outras eram derrubadas na primeira instância e aprovadas folgadamente na segunda. Porque era aprovada gente? Não sabem? Só era aprovada via mensalão, ou seja, se não molhar minha mão eu voto contra de novo. Sabe porque ninguém sabia?  Porque a polícia federal não podia investigar. Agora no governo do PT só fala em corrupção, claro, o LULA mandou investigar! deixando essa corja que deixou o Brasil no fosso com muita dor de cabeça e muita insônia, pegou vagabundo do PT também, contudo a lista do TSE sobre o ranking da corrupção no Brasil de 2000 a 2010, mostra porque essa turma que afundaram o Brasil estavam com medo do LULA ganhar. Já coloquei aqui no face esse documento do TSE e vou postar de novo. Segundo o TSE, só prefeito e vices somam 508 e o PT aparece em nono lugar com 10. O motivo da revolta da oposição é devido ter vindo a público os nomes dos verdadeiros corruptos, investigado, processado e cassados, coisa que eles não acreditava que o LULA tivesse coragem de fazer. Taí o resultado : Um Brasil onde o povo da roça andava a de jumento, agora anda de moto; os que tinham moto, agora anda de carro; ônibus leva e trás os alunos para escola; gestante recebe auxílio natalidade e postos de saúde existe em todos os distritos do Brasil entregando medicação, e, afirmo que vi pessoalmente; o estaleiro naval foi reaberto; as indústrias voltaram a confiar no país contratando mão de obra fazendo cair o nível de desemprego 25.800.000 no governo FHC para 4.500.000 segundo pesquisa da ONU. E o LULA com 9 meses de governo disse que não precisava mais do FMI. A maior prova que muita gente sabe disso, e olhem que sabe mesmo, é que a situação de Aécio neves nas pesquisas é fruto desse medo que o povo tem dessa gente voltar ao poder. Eu sei também que tinha gente nessa época do FHC que ficou ganhando uma miséria, por exemplo um PRF ganhava em torno de 1.800,00 reaias, hoje varia entre 10 a 11 mil, porque o LULA tirou da gaveta do FHC as medidas de rejuste salarial proibida por ele, mas mesmo assim para esses que são da oposição o LULA é um safado. Quem pode entender o que se passa na cabeça do ser humano? Querem votar nessa gente contra o sistema atual? Votem. Mas não diga depois que não sabia.  Subescrevo – Cézar Mário



Escrito por cezar às 21h21
[] [envie esta mensagem
] []





Ressurreição de Jesus

Mauro, boa tarde.

Esse tema é para a maioria dos estudioos, meio polêmico, todavia para nós espíritas nem tanto. Começo dizendo que o próprio Cristo disse: "Não vim destruir a lei de Deus". Sendo Ele homem participou da lei divina como tal. Portanto a ressurreição é do espírito e não do corpo. O apóstolo Paulo o mais respeitável do novo testamento escreve: primeiro Corintios 15;44 - Semeia-se corpo natural, ressuscita-se corpo espiritual, se há corpo natural, há tambem corpo espiritual. Mais na frente nesse mesmo capítulo 15,50 ele reforça - Isto afirmo, irmãos que nem sangue e nem carne pode herdar o reino de Deus. Entende-se que Jesus participou naturalmente da lei de Deus aqui na terra, ressuscitou em espírto. Uma grande prova disso, foi quando Maria Madalena quis tocá-lo, Ele disse: "não me toques, pois ainda não subi para o Pai", prova que Ele naquele instante estava apenas em estado de transfiguração espiritual. Se Madalena tentasse tocá-lo teria um grande susto, pois não sentiria a matéria física. O fato do Cristo ter ressuscitado em espírito, não diminue suas virtudes e poder divino que é inerente ao ser espiritual e não ao material que é perecível. Quanto ao corpo, a história faz muito sensacionalismo devido ao fanatismo religioso, fruto da fé sega que não permite o raciocino científico, que tambem é lei divina. Lembra quando matavam sábios no passado quando revelavam que a terra era redonda e não plana? Pois esses mesmos  hoje tiveram que engulir os erros e admitir que a terra é verdadeiramente redonda e é ela que gira em torno do sol e não o sol em torno da terra como admitiam eles. Abraços. Continue questionando.



Escrito por cezar às 15h26
[] [envie esta mensagem
] []





Resposta para Mauro

Mauro voce me pergunta porque não estou mais postando mensagens no blog,  o motivo é que estão dando pouca atenção aos assuntos que se refere a temas religiosos. E tambem o número de blogs aumentaram consideravelmente. Alem das redes sociais e a preferência de blogs políticos. Encontro amigos que me falam e até elogiam os temas, mas não fazem cometários para ficar registrada a sua visita, dai a desconfiança se o blog está sendo acessado ou não. Mas vou preparar mensagem que possa ajudar, mesmo que seja um se quer a ser tocado, a mensagem não ficará em vão. Abraços. Obrigado pela sua preocupação em ver o blog reativado.  



Escrito por cezar às 10h36
[] [envie esta mensagem
] []





Jamiro dos Santos

Oi pessoal, vamos prestigiar no dia 28 desse mês o nosso irmão Jamiro dos santos que vem nos visitar e proferir palestra nas dependências da Casa Espírita Raios de Luz. Somar conhecimento é sempre bom e ele tem muito para nos dá.



Escrito por cezar às 23h12
[] [envie esta mensagem
] []





PALESTRA

Olá pessoal, dia 09-07-2013 Alexandre Barros estará novamente no Raios de Luz proferindo palestra com tema livre. Vamos prestigiar e aprender um pouco mais com o nosso irmão.



Escrito por cezar às 11h41
[] [envie esta mensagem
] []





Palestra com Alexandre Barros

Olá pessoal, vem ai mais uma terça-feira, e, é nesse dia 4 de Junho que o nosso irmão Alexandre Barros estará nas dependencias do Raios de Luz para proferir mais uma palestra. Como sempre divulgando a mensagem do Cristo de Deus na visão do consolador prometido pelo Mestre. Vamos prestigiar e somar mais conhecimento com o nosso irmão.



Escrito por cezar às 19h44
[] [envie esta mensagem
] []





ORAR FAZ BEM À SAÚDE

Que orar faz bem à alma, todo mundo já sabe. A "novidade" é que a comunidade científica já reconhece que a prática também traz benefícios à saúde. A afirmação é fruto de um estudo sério e profundo realizado por médicos norte-americanos. A pesquisa analisou, por trinta anos, 6.500 pacientes e foi constatado que a fé os ajudou a prevenir doenças do coração. Outro estudo, da Universidade de Duke, concluiu que a prática da oração reduziu em até 40% o risco da pessoa desenvolver hipertensão.

"A própria religiosidade ou a crença em um ser superior pode produzir certas modificações no organismo, que leva o indivíduo a se tornar menos suscetível a problemas de saúde", diz o psicoterapeuta da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), doutor José Roberto Leite. A relação entre fé e cura de doenças é tema de livros acadêmicos, e ganha cada vez mais espaço no meio científico. "Um estudo feito na Universidade de Pávia, na Itália, analisou pessoas que tinha o hábito da oração e suas taxas de fluxo sanguíneo cerebral, eletrocardiograma, pressão arterial, enfim, todos os parâmetros cardiovasculares, houve uma melhora significativa nesses níveis", explica o médico cardiologista doutor Roque Savioli.

A pesquisa norte-americana deteve-se às doenças do coração, mas, de acordo com especialistas, a fé traz benefício também ao tratamento de outros tipos de doença, até as mais graves, como a Aids. O capelão do Hospital Emilio Ribas (SP), padre João Inácio Mildner, atua há 19 anos na instituição, que é a maior no setor de tratamento de doenças infectocontagiosas da América Latina. A maioria dos internados é portadora do vírus HIV. De acordo com o sacerdote, mesmo em doenças mais graves, a fé torna-se um santo remédio. Quando se tem fé, o paciente enfrenta de maneira diferente a doença, complementa o médico infectologista doutor Jamal Suleiman.

Por isso circula na net a frase: Eu oro, pois prefiro as marcas nos meus joelhos do que feridas no meu coração. Significa que, quando entramos em sintonia com a divindade, mergulhamos num eflúvio de harmonia que banha nossa alma, renovando-nos de energia salutares que por sua vez plasma no corpo físico expulsando os miasmas insalubres que estava danificando o funcionamento das fibras psicossomáticas. Vamos orar, porem procurando saber o que é orar.

Cezar Mário

 

 



Escrito por cezar às 19h02
[] [envie esta mensagem
] []





Resposta para Mauro

Mauro, boa noite. Os crimes sempre ocorreram e vão acontecer outros tantos por muito tempo ainda. O homem que mata para defender sua vida, o faz por instinto de sobrevivência. O apóstolo Paulo, quando ainda se chamava Saulo de Tarso matava e mandava matar para defender os intereces que defendia. Quando convertido à doutrina crísitica foi perceguido e não revidava as agreções que sofria, quando muito fugia, como forma de preservar a vida, mas não mais cometia crime como outrora. É o que vai acontecer com a evolução moral do ser humano, até se estinguir de uma vez por toda a criminalidade.

Abraços - Pode continuar questionando é bom pra voce e pra mim. Obrigado



Escrito por cezar às 22h29
[] [envie esta mensagem
] []





BATISMO E PECADO ORIGINAL

                                                                            

Percebe-se no homem certa inclinação para interpretar textos bíblicos segundo a letra, desprezando o espírito da razão e da lógica.

Em tudo que se pesquisa e estuda é preciso usar o bom senso, para não incorrer em erros e mal-entendidos de graves consequências. É o que acontece com a questão do pecado original e do batismo, este com o poder de eliminar o primeiro, conforme ensinam as religiões tradicionais.

Batismo, palavra de origem grega, “baptismo” e no latim “baptimus” significa imersão ou mergulhar. João Batista utilizou o ritual do batismo em obediência aos costumes da Grécia antiga. Era crença daquele povo, que ao mergulhar no rio confessando em voz alta seus erros perante o público, Deus perdoava seus pecados, pois, sentiam-se livres das culpas por não mais escondê-las nem de Deus, nem dos homens. Jesus aceitou ser batizado na tradição judaico-grega, para não comprometer a missão de João, que era seu precursor. Vale salientar que ninguém em sã consciência possa imaginar que o Cristo precisasse ser batizado para apagar pecado. Sim, Jesus foi batizado conforme narra o evangelista Lucas no cap. 3-21. Todavia, até hoje não vi ninguém expor publicamente em nenhuma tribuna o porquê de vez em quando Jesus falar que precisava ser batizado, como consta no mesmo livro do evangelista cap. 12-50. Neste, diz Jesus: “Tenho que ser batizado por um batismo e quanto me angustio até que o mesmo se realize”. Que batismo é este de que fala Jesus? O primeiro não lhe foi suficiente? O batismo com água é um ritual material que não toca em nada o espírito. O batismo real é a transformação da criatura; é o sacrifício pela verdade mesmo que lhe custe à vida; é lutar contra todas as tendência instintivas e inferiores que trás no seu espírito para está sempre de consciência tranqüila diante de Deus.

A teologia e as ciências dos homens não podem compreender isto, porém, o Espiritismo como ciência do espírito é o único que pode trazer até nós explicações de tudo que relatamos fundamentados na lógica e na razão.

Se os Espíritas admitissem o pecado original, seria as paixões e vícios de toda sorte que trazemos quando renascemos, já que não herdamos de ninguém e não vamos pagar por erros cometidos pelos outros. Aliás, diz-se que o pecado original que está na criança é porque ela veio de um ato pecaminoso, o sexo. Como se Deus tivesse na sua obra, alguma coisa feia e errada. Ora, Deus não erra. Consequentemente o sexo não é feio, a não ser quando praticado de forma abusiva, irresponsável e desrespeitosa. Mesmo assim a criança não poderia ser responsabilizada, para ser necessário batismo que a livrasse de culpa que não cometeu. O batismo de que tanto Jesus falava, era o testemunho que Ele precisava dá, das verdades divinas. E foi batizado quando O pregaram na cruz no meio de ladrões. Porque sua doutrina estava ofuscando as trevas dos romanos. Estes por muito tempo continuaram cegos, perseguindo e matando todos quanto se convertiam à doutrina do crucificado. Vendo eles que estavam destruindo seu próprio povo quando se convertiam, resolveram aceitar o cristianismo. Foi aí que suas condições prevaleceram, infiltrando na doutrina pura do Cristo, seus dogmas, rituais e idolatrias, nunca ensinadas pelo messias de Deus. Vemos então que o batismo é de caráter espiritual e qualquer um pode batizar-se sem a interferência de terceiro. As seitas e religiões podem ser úteis apenas no despertar para Deus, mas, a transformação íntima do ser, parte do seu interior. É aí que se concretiza o batismo. A propósito, quantas pessoas que foram batizadas e que para Deus mantêm-se distante do verdadeiro batismo? Basta ver os inúmeros casos de adultério, pedofilia, roubos e corrupções de criaturas crentes que se dizem terem recebidos o espírito santo. Se essas pessoas estivessem verdadeiramente com o espírito santo, caíam com tanta facilidade?



Escrito por cezar às 20h47
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]